EJA 1
CMVR_Outubro_2021

"Continuarei a servir a Deus em Cuba enquanto puder", diz pastor após sair da prisão

Por Equipe G. Gospel em 21/09/2021 às 14:29:11

O pastor Yéremi Blanco foi preso com seu amigo pastor Yarián Sierra por quatorze dias enquanto participavam das manifestações ocorridas contra a ditadura em 11 de julho, em Cuba.

Ambos os pastores também são parceiros do Seminário Carey, que tem um programa de treinamento bíblico em Cuba, bem como em outros países da América Latina.

O caso foi finalmente resolvido na quarta-feira, 1º de setembro, quando ambos foram libertados sem acusações, após o pagamento de uma multa.

Yéremi Blanco é pastor da Igreja da Bíblia da Graça na cidade de Matanzas. Ele é casado com Adelys e eles têm três filhos. Eles passaram por semanas de tensão e sofrimento, mas também experimentaram novos aspectos da fé e da obra de Deus em suas vidas.

O pastor disse ao site de notícias espanhol Protestante Digital, assim que soube da resolução definitiva de seu caso, que tem sentimentos mistos. De um lado, está feliz por não ter que voltar para a cadeia, mas por outro, acha injusto ter que pagar a multa que lhe foi imposta.

“Não cometi nenhum crime e mesmo assim passei 14 dias na cela e agora pagamos uma multa”, declarou. “Mas, enfim, minha família e eu estamos felizes”.

O pastor diz que nesse período difícil, viu a mão de Deus agindo a seu favor. “Ao longo de todo este processo, experimentamos a bondade de Deus em nossas vidas. Durante os 14 dias em que estive na prisão, não sabia absolutamente nada do que estava acontecendo lá fora em relação a nós”, declarou.

“Mas eu sabia que Deus não nos abandonaria e que também nos testaria, mesmo pelas mãos injustas dos homens. Mas quando saí e me mostraram tudo o que se passava nas redes sociais, na imprensa independente cubana, na imprensa internacional, fiquei espantado”, revela.

Ele disse que ter visto como um grande número de cristãos em todo o mundo estava preocupado com nossa detenção foi um presente de Deus. “É um sinal da bondade de Deus para conosco”, disse.

“Muitos não-cristãos também simpatizaram conosco por causa da injustiça que estávamos sofrendo e gentilmente nos ofereceram sua ajuda. Deus nos deu muitas amizades e queremos mantê-las”, declarou.

Incertezas

Yéremi também falou sobre a incerteza que experimentou dentro da prisão. Mas diz que “todas as aflições que vieram depois contribuíram para testar não só a nossa fé, mas também muitos ensinamentos da Sagrada Escritura que verificamos na nossa própria experiência”.

“Deus não só nos guardou, Ele também orquestrou tudo para Sua glória e para o bem de Sua obra”, disse.

Sobre as expectativas para o futuro de seu ministério cristão em Cuba, Yéremi diz que o futuro ministerial em Cuba pode ser mais difícil de agora em diante.

“A igreja em Cuba está sob vigilância constante. Por causa do que aconteceu comigo, e porque estou sob investigação sobre os eventos de 11 de julho, a vigilância de nossa igreja e minha se tornará mais intensa. Podemos até ter que lidar com mais obstáculos do que antes”, acredita.

Ele diz não saber que tipo de situações enfrentarão de agora em diante, inclusive sobre a situação de seus filhos quando voltarem para a escola.

Yéremi Blanco, Adelys Rodríguez e seus três filhos. (Foto: Reprodução / Evangelical Focus)

“No entanto, continuarei a servir a Deus em Cuba enquanto puder”, disse o pastor, casado e pai de três filhos. “Se acontecer de minha família começar a enfrentar qualquer tipo de assédio, eu consideraria servir a nosso Deus em outra nação”.

Sobre a situação de Cuba, ele diz que são muitos acontecimento nesses últimos 60 anos de comunismo e que agradeceria suas orações para que os cristãos cubanos possam viver e expressar sua fé livremente em todos os momentos. “Aproveito para agradecer a todos que conheceram nossa situação e oraram por nós. Deus abençoe todos vocês”.

 

Fonte: Guia Me

Comunicar erro
Supletivo_01 - Local 2

Comentários

Supletivo_01 - Local 3