CMVR - Fevereiro 2024

Ciro Gomes diz que retomará conversa com partidos da 'terceira via' em busca de apoio na eleição

Por Equipe G. Gospel em 18/04/2022 às 18:45:03
Pré-candidato ao Planalto pelo PDT, ex-governador fala em dialogar com União Brasil e PSD; siglas tentam emplacar candidato próprio. Moro era obstáculo para aliança com União, afirma. Senadora Leila Barros, presidente do PDT, Carlos Lupi, e pré-candidato Ciro Gomes em evento do partido em Brasília

Kevin Lima/g1

Pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, o ex-governador Ciro Gomes afirmou nesta segunda-feira (18) que pretende a dialogar com lideranças de partidos como União Brasil e PSD em busca de apoio nas eleições de outubro. Os dois partidos, até o momento, estudam lançar candidatura própria.

Questionado durante o lançamento da pré-candidatura da senadora Leila Barros (PDT) ao governo do Distrito Federal, Ciro disse que não havia entrado na "dinâmica de conversas" com lideranças do centro democrático porque havia um obstáculo: o ex-ministro e ex-juiz Sergio Moro.

"Tive um jantar 15 dias atrás com a direção do União Brasil. Bivar e ACM Neto. E eles perguntaram se eu admitia entrar em uma dinâmica de conversas com essas outras pessoas. Eu disse a eles que, a mim, repugnava a ideia de sentar com um inimigo da República como o Sergio Moro. Parece que essa questão está vencida, portanto, a única restrição que eu fazia está superada", disse.

Segundo Ciro, a partir de agora, as conversas devem se intensificar com o União e o PSD. "São duas forças que ainda não estão aliadas nesse processo de pré-campanha", afirmou.

CAMAROTTI: Ciro Gomes inicia nova etapa de estratégia para tentar quebrar polarização entre Lula e Bolsonaro

As siglas, segundo ele, já têm mantido conversa com o PDT. Para o ex-ministro, a decisão deve vir apenas em julho.

"Eles querem ver se eu atravesso o Rubicão, que ele aquele rio que o [imperador Júlio] César atravessou. [...] Eles querem ver se eu me viabilizo. E é isso que eu quero ver também", declarou.

Para retornar às conversas, Ciro Gomes disse que será preciso estabelecer um "método". "Não pode ser um acordo de pretendes para replicar o que está aí", acrescentou. O político disse que espera manter um diálogo com as legendas sobre a "causa da crise brasileira e as raízes que precisamos fazer para devolver ao Brasil o desenvolvimento".

"Se for para deixar o que tá aí, chama o Lula que vocês vão ver o que é bom para tosse", disse.

Eleições 2022: os pré-candidatos a presidente da República

Eleições 2022: Conheça os pré-candidatos à Presidência

Fonte: G1

Comunicar erro
Consultoria

Comentários

Marketing para Advogados_2